• Autor

  • MOSHE


  • Estatisticas

    • 4,931 hits
  • Meu Twitter: DocLoc

    • my dab on the tool looks like a cobra headNow is 4 weeks ago
    • smokin' flowers but keep thinkin', "oh, i should take a dab"Now is 1 month ago
    • Oakland has lost the Muze Club...hopefully they find a new space soonNow is 2 months ago
    • i got that real Trainwreck...can tell by the smellNow is 4 months ago
  • Info Data

    agosto 2014
    D S T Q Q S S
    « nov    
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31  
  • Arquivos

  • Life To Live

  • Essencia

  • SMS GRATIS TODAS OPERADORAS

Mulheres Para Pastoras: CGADB Estuda a Possibilidade

Mulheres na luta para serem pastoras na Assembleia de Deus

A denominação Assembleia de Deus, conhecida por ser conservadora quanto à consagração de mulheres como pastora, tem debatido sobre esse assunto e algumas Convenções já avançam na aceitação do pastorado feminino. Uma delas é a Convenção do Distrito Federal, que representou uma significativa etapa para que o ministério de pastoras ganhasse valor e credibilidade nacionalmente. Embora Convenções como a de Madureira já oficialize ordenação para mulheres, como ocorreu com a consagração da cantora Cassiane, a ideia ainda não é reconhecida pela Convenção Geral das Assembleias de Deus (CGADB).

O assunto é tabu dentro do modelo que as igrejas assembleias ainda seguem. No entanto, por serem independentes, algumas Convenções Regionais podem aprovar decisões que são homologadas pela CGADB.

A Convenção das Assembleias de Deus do Distrito Federal tem como presidente o pastor Sóstenes Apolos, que decidiu em favor da consagração de pastoras. Após muitos debates, o projeto foi aprovado por 70% em assembleia composta com 1,5 mil correligionários. Segundo Apolos, existem cerca de 50 mulheres interessadas na consagração que deverão ser avaliadas em março de 2012.

A grande dúvida é se, nas próximas plenárias, a CGADB reconhecerá o quadro feminino no pastorado, já que desde 2001 não aprovou a ordenação feminina dentro dos ministérios assembleianos.

Tirado do site Verdade Gospel, link: http://www.verdadegospel.com/mulheres-na-luta-para-serem-pastoras-na-assembleia-de-deus/

Pr. Silas Malafaia comenta o ‘Dia do Orgulho Hétero’


Revendo o Conceito de Relacionamento na Internet

Integração Estrutural
Se tem uma coisa que me irrita muito, é quando alguem com muita má-educação ignora a permanencia ou presença, e bate a porta na cara de uma pessoa. Infelismente isso acontece muito na internet principalmente entre as pessoas que são adicionadas em sites de relacionamentos como Orkut, Msn, GoogleTalk, Facebook, MySpace, e etc. Eu acredito que ao adicionar uma pessoa, amigo ou não, colega ou não, em meus contatos; estou me comprometendo a um compromisso de COMUNICAÇÃO toda vez que entro on line ou disponível. Se eu não quero ou estou disposto a falar com alguem é conveniente que eu entre off line ou invisivel, ocupado, etc. A inconveniencia de sair, ou ficar off, ou ocupado, de um determinado programa de comunicação logo após uma CHAMADA de algum CONTATO é a mesma coisa de se bater uma porta na cara ou desligar o telefone na cara de alguem. Eu acredito que estes sites de relacionamentos existem para realmente aprendermos a nos associarmos uns com os outros e tornar a co-existencia mais razoável. É claro que pode acontecer de alguem solicitar a comunicação com um contato seu, e ser ignorado porque quem está do outro lado não percebeu que foi solicitado em uma conversação, mas mesmo assim a solicitação fica gravada e depois é possivel ve-la ao adentrar outra vez no programa de comunicação, como é o caso do msn, orkut,Gtalk,myspace, e etc. Muitas vezes ja aconteceu comigo de alguem me solicitar e eu não perceber e só vi que fui solicitado numa outra vez que entrei de novo no programa, mas nunca deixei de responder mesmo com atraso e justificar o porque não deu pra responder naquela hora. É incrível como isso acontece a todo momento na net, muitas pessoas ignoram mesmo os seus contatos quando chamam, e até ficam horas a fio na net e depois saem e nunca justificam nada na proxima entrada. A melhor coisa a fazer quando estamos on line e não podemos responder a alguem é dá uma brevissima saudação ao solicitante e dizer que depois fala com ele pois está ocupado. Só para se ter uma idéia de como me sinto desconfortavel com o sentimento de desdém, em 2006 eu estive em Salvador minha terra natal, fui lá por motivo de herança de um terreno do meu avô que quando chegou aqui no Brasil, pois ele veio da Espanha, e ele comprou 3000 mil metros quadrados de área proximo a praia do farol da barra; pois bem, não conseguimos vender o terreno por motivo de algumas burocracias tais como óbito de herdeiros mortos e outros herdeiros distantes de Salvador, e esse era o caso do meu pai, ele mora em Eunápolis interior da bahia; foi então que entrei em contato via MSN com a minha meia-irmã, Dilsa, ela é filha só do meu pai a mãe dela é outra. E então eu expus a ela que precisavamos levar meu pai até Salvador para que ele tambem assinasse o documento de transferencia do terreno para a construtora afim de que a grana da venda do imovel fosse dividida entre o meu pai e os seus filhos; pois é, essa minha meia-irmã me deixou a ver navios por mais de 40 minutos no MSN assim que ficou sabendo da herança desse terreno, voltei a falar com ela depois desse tempo que ela me pediu e ela me deixou esperando por mais 30 minutos e depois saiu do MSN sem dizer bulufas, ela cresceu o olho na herança e maquinou levar meu pai a Salvador sem a presença dos outros filhos, mas acho que Deus atrapalhou as idéias dela, pois o terreno até hoje não foi vendido. E eu nunca mais falei com ela…pela falta de educação de me deixar atoa no MSN e pela ganancia. Acho mesmo que é muito importante postar nestes sites nossas fotos, videos, frases, mensagens e etc, mais o melhor que podemos postar de cada um de nós é a afinidade de relacionamento uns para com os outros, ou então vai ficar parecendo que estamos nos relacionando consigo próprio e que queremos apenas nos exibir os nossos dotes e peculiaridades.

Coisa de um Deus

Descendo do Céu
Quando Deus precisou de alguem para restaurar a sua harmonia com o homem ele não apontou diretamente um dentre seus servos nem escolheu nenhum deles por vontade própria, mas ao fazer a pergunta: “ Quem irá por nós e, a quem enviarei ? “ essas palavras fez com que todos da orbita celeste tremessem grandemente. Houve segundo muitos estudiosos da teologia, um silencio no céu por meia hora; o momento foi de muita reflexão, todos ali presentes sabiam que as coisas das quais Deus precisa resgatar nunca se é feita sem a presença de derramamento de sangue; quando um sacerdote se apresenta no santo dos santos deve levar sangue de algum animal sem macula; quando o mesmo faz expiação pelo povo tem de comparecer com o sangue da aspersão; quando alguém faz oferta a Deus este deve oferecer uma oblação com sangue, e assim é, pois sem sangue não se podia trazer nada puro a Deus. Esse silencio de meia hora alem de ser aterrador é também constrangedor pois a pergunta além de requerer uma resposta, ela não deve ser duvidosa, temerosa, vazia, tímida, opaca, etc, mas a resposta deveria ser firme e convicta, mesmo depois de avaliada por meia hora. Os anjos vivem em plenitude de paz, harmonia, alegria, prazer, beleza, e glória; e para todos eles a cogitação de deixar o tabernáculo de Deus com toda a sua maravilha seria um ato de loucura e insanidade, entretanto como essas coisas não lhes afetam e como são inatingíveis nesses aspectos, todos e uníssonos deram um sonoro silencio; pois descer até aos homens físico e materialmente em um corpo que a todo momento se corrompe tanto da parte moral como carnal e sem contar das agruras e turbações do cotidiano humano, para quem vive desde o momento em que foi gerado em excelência e graça refulgente, é um passo para um preço alto demais, talvêz para eles alem das alturas dos céus. Para se ter uma idéia da grandeza do trabalho do resgate humano e do que representava para Deus a prestação deste serviço, era entendido e sabido por todos os anjos que o autor da consumação daquela obra seria por toda a eternidade revestido de fama, glórias, um nome mais elevado, diademas, variadas coroas etc; …este com certeza traria um contigente inumeravel de servidores aonde quer que estivesse, se asentaria ao lado do grande trono de Deus e com ele provaria das delicias inéditas, exclusivas, inescrutaveis e sim, por toda a eternidade. Mas mesmo sendo sabedores de todas essas maravilhas e poder, não quiseram ostentar tamanha riqueza nem em pensamento por se tratar de um preço exorbitante demais. A tarefa era árdua e algo jamais experimentado antes, um trabalho potencialmente desconhecido; laborioso, engenhoso, e finalmente extremo, pois se culminava com a morte trazendo o sangue necessário para o resgate humano. Nenhum abriu ou recitou palavra alguma da boca; apesar de serem todos capazes e poderosamente habilitados no que se refere a redenção do homem, pois o maior dentre os homens é menor que o menor dos anjos. Mas é em meio a tanta expectativa que surge uma voz que diz e reponde ao apelo lançado por Deus quebrando toda quietude dizendo: “ Eis-me aqui, envia-me a mim” e o que se seguiu foi um murmúrio sem fim e conflitante pois quem esperava que alguém da trindade se colocasse a disposição de uma jornada tão desgastante e áspera ? Fazer o que Jesus fez era surreal, inimaginável, e inviável para a posição dele. Depois da grande audácia transgressora que houve no céu, essa proeza era tão somente inigualável porque era sacrosanta e não efêmera. Imagine um homem poderoso e que vive em meio ao luxo com muita fidalguia, em que ele tem urgência de restaurar sua obra de arte mais cara e magnífica e, que para isso teria de penhorar a sua exultante bela e reluzente face, mesmo que depois toda essa sua reluzente e bela face retornasse como dantes, seria fácil tal sacrifício ?? seria coisa de somenos penhorar a mais preciosa das almas para resgatar tantas outras destinadas ao infortúnio? Entrar nesse nosso mundo com o destino já traçado e escrito, realmente não era coisa para anjos nem para homens e sim para um Deus. Jesus, o Deus filho da trindade.

TEORIA DA IRA

A revoltaTeoria da Ira

O Trono
Era o final da criação celeste nos dias eternos, e o esplendor da Majestade se situava em um elevado trono, circulado por nuvens e labaredas de fogo que se mesclavam e se fundiam, bem harmoniosas e de perfeita sincronia quando o trono se movia para um lado ou para o outro quando era contornado pelos filhos de Deus; de maneira que se um ia pela direita e outro pela esquerda no mesmo momento, ou se muitos o rodeava em movimentos contrario e simuntaneo, o Trono o seguia. Tal era admiravel este misterio, visto que o Trono sempre estava de frente e diante de quem a ele se chegasse. De certo que ao está o Trono rodeado dos seus adoradores, o Rei então estava continuamente ante a face deles.

As Classes Angelicais
Tudo era luz bem definido e distinto, e as classes angelicais já se evidenciavam desde o despertar da consciência; e eles eram Poderes, Dominadores, Potestades, Tronos, Principados; e recém-chegados para a vida ilimitada para eles não havia intransponíveis.O conhecimento e a sabedoria não eram, privilégios de apenas alguns mas todos usufruíam igual medida desde o maior deles: Miguel, arcanjo da classe poderes, comandante supremo do grande exercito, como também Gabriel o menor de todos, dignitário de potestade, mensageiro assistente de conforto que espera diante do trono, do lado de dentro do circulo de lumes. Bilhões de bilhões estavam em pé, hostes, miríades, e milícias incontáveis; todos ordenadamente paramentados aguardando a saída da palavra de ordem e dever.

A Unção e a Mensagem do Pregoeiro
Então por cima do trono mais avançado para a direita subiu um pregoeiro e trazia na mão direita um cetro e uma espada, e na esquerda um vaso com certo ungüento sem cheiro. Ele levantou o vaso sobre si e o entornou por sobre a cabeça, o liquido desceu até a altura da sua cintura, mas logo quase que instantaneamente se secou numa espécie de túnica trabalhada com adornos que o pregoeiro vestia; porém de tão úmido e untado que ficaram seus cabelos, que gotas salpicavam em seus ombros, mas assim que tocavam as vestes se secavam, contudo os cabelos continuavam molhados, e o seu volume não se alterou. Um outro seu semelhante se aproximou até o pregoeiro e lhe tomou da mão esquerda o vaso já vazio. Então ele passou para à esquerda a espada, e elevou a mão esquerda com a espada na horizontal à altura do peito; e a sua destra com a qual empunhava o cetro a esticou para frente, depois para um lado e depois o outro, e em seguida apontou para cima, e começou a falar e a transmitir a todos para cada hierarquia segundo o que lhes era cabível mediante o que lhes deviam a prestação da obediência. Assim que passou a falar duas mensagens era perceptível em sua voz que se podia ouvir e entender, esta é a falada; e a que se sentia com o coração, e a intenção desta devia ser: Estar sempre ecoando dentro de cada um por toda a eternidade. Onde quer estivessem tão longe ou tão perto, tanto tempo distante em qualquer que fosse a missão, eles tinham este alerta continuo como um prénuncio de suas posições e navegador da grata devoção ordenada. A voz do pregoeiro se espalhava por todo o céu dos céus e o enchia, de tão forte e potente que era, que a cada alarde e pronunciamento feito, seu ímpeto veemente se assemelhava a um temporal repentino que chega pausadamente. O mais distante entre todos os que ali se achava, recebiam aquelas palavras com o mesmo poder, sentido, e determinação que os primeiros, de conformidade com o desígnio, propósito, e deliberação imperativa da supremacia ao que por direito detem o senhorio sobre todos. E quando terminou o pregoeiro, e parou a preleção que fazia, então se secou o ungüento de seus cabelos, os quais eram como cachos entrelaçados bem volumosos e compridos e todos os ministros que o ouvia, em uníssono disseram: Assim é, assim seja, assim será para todo o sempre.

Os Serviços
Daí em diante a multidão das inumeráveis falanges se dispuseram lançando mão dos seus ofícios; quem do coro, pro coro; quem da guarda aos mirantes das atalaias, o compositor para a letra; o musico para a melodia; o ornamentador para a suntuosidade do sacro santuário, com suas multiformes de cores, luzes, posições, pavimentações, desígnios, e seus padrões mutáveis, mudanças das quais nenhuma sequer se repetia, todos os aspectos e variações eram o curso da normalidade, constante e ininterrupta a cada sete tributos. E seguia a eternidade com toda a sua plenitude e fulgor, e os filhos de Deus com todas as diversidades de dons e vocações que possuíam cooperavam com habilidade, destreza no desenvolvimento e expansão daquilo que se criara e expressava entendimento, vida, conhecimento, sabedoria e glória.

A Conferência
Foi então anunciado entre todos que quisesse voluntariamente se apresentar para tomar parte de uma grande e promissora jornada de vantagem a qual certamente tornaria seu grande executor em uma incontestável e irredutível figura vitalícia da Direita. E assim se arregimentou todos os que contemplara no coração o privilégio, todos os capazes e todos os habilidosos. Diante de tudo o que foi concluído, a suma dos que foram escolhidos, eram três únicas e inigualável composições. E das que foram tangidas ante aos ouvidos daquela grande congregação, já se percebia a graça da qual fora escolhida. Porque pelo seu poder se elevou e revelou quão profunda fora a inspiração, do que tão almejada posição buscou. Nenhum, deles ousou contrariar nem mesmo em pensamento a obra que estava confeccionada e evidente em digna beleza. Era um canto, o primeiro cântico o qual saudava tudo o que tinha sido criado; e no momento em que era entoado, todos como se estivessem num único sentido e em uma só alma, elevavam-se suavemente rodeando sobre si,e o Trono no qual se achava tambem o primeiro principe; porque do íntimo de cada um, é que isto procedia,e era este gesto provocado individualmente pelo cântico sempre ao ouvi-lo.

A Convocação do Querubim
Foi feita então a convocação e a solicitação do entendido o qual era de semblante sereno e pacifico, de porte varonil, e o seu aspecto compreendia muita formosura, elegância, e sapiência. A classificação a qual pertencia se designava: principados, assistente régio dos que ministra e ordena o coro da 3a falange que dista proximidade ao Trono; subordinado aos que presidem, aos que julgam com equidade entre critérios e aos que exercem autoridade e promovem a obra dos vencedores em refulgente gloria e exaltação sublimada. E o fizeram chegar, e introduzindo-o o aproximaram na presença do Rei de anos incontáveis; seus cabelos de tão negros que eram contrastavam com os tão límpidos, reluzentes e clarificados do seu Rei. A expectativa do régio assistente parecia aflorar em seus olhos, ainda assim ele já podia cogitar daquilo que sem duvida ouviria, então o Rei lhe estendeu o cetro e o designado de principados o tocou em sua extremidade. E Deus lhe falou: Vejo que atentamente te conduziste a dignidade que recebeste, e se assim é, agora és sabedor do que fiz contigo, para toda honra, gloria e louvores ao teu Senhor. Vai dispõe-te no teu valor e ser prospero. Então o príncipe régio se curvou e adorou o Rei, que no seu trono erguia a sua mão direita por sobre a sua cabeça o confirmando, e o despediu com estas palavras aos ouvidos dos que ali estavam: Desde agora te constituo por príncipe do louvor. E ele levantando se retirou de diante do seu Deus. Logo todos o cumprimentavam e com ele se congratulavam e o bendiziam por ter sido aclamado pela própria Majestade entronizado; e por ser achado agora entre os divulgadores principais. De tanta alegria e entusiasmo que possuía o coração do promissor “amigo do reino” porque assim era que ele queria que o chamassem, visto que o admiravam pela sua singularidade ; que mais e mais crescia e se avantajava em tudo quanto fazia e realizava, de maneira que logo, e não tardou a alcançar o titulo de Príncipe Maior de toda a 3a falange.

O Poder e o Caráter de Luxael
Ora era muito comum entre os principais ter muitos nomes, ou apelido de renome, ou seja da sua fama, pelo o que fez e criou. Portanto Luxael, o que quer dizer “ a luz que é agradou”, tinha ao seu redor e derredor todos os príncipes e maiorais aos quais ele anteriormente prestava obediência do seu oficio, agora porém como seus comandados, os quais sentiam todo orgulho que podiam ter dele, porque nem mesmo o mais habilitado, o qual fora o cabeça dentre os idôneos jamais sequer antes, em ocasião alguma e oportuna tivesse sido ao menos o seu nome citado como o príncipe imediato do coro da 3a falange tanto mais alegria agora eles teriam por alguém que gerou tamanha proeza e pudesse despertar todo um reino. Luxael, tinha espírito de hábil articulador, e no inicio todos foram unânimes para mudar o procedimento do status dos que com ele se detinham em todas as suas jornadas. Pelo que só príncipe deste momento em diante estariam de caminho com ele nas suas apresentações e aparições, muito principalmente nas assembléias convocada pelo primeiro príncipe; para os comandados de Luxael esta sua resolução não os incomodavam, muito pelo contrario, lá estavam eles como que altaneiramente extasiados confortavelmente em seus corações em tudo quanto fosse por Luxael expedido. Sobremaneiramente, sempre mais do que ele mesmo esperava, em razão de que a sua simpatia era o estimulo da cooperação de todos para seu crescimento e expansão de tudo quanto projetava e empreendia; cada feito seu concebido recebia por parte dos conservos todas as honrarias de jubilo pelas novas que sua sabedoria realizava, e assim era manifesto aos corações dos irmãos o quão importante estava sendo para eles ter um renomado varão, que tão imensurável galardão lhe foi outorgado: Assistir a Destra do Soberano, um dos tais, e ter participação nas ceias dos Valorosos em Poder, os quais ministram sem cessar as maravilhas do Rei Todo-Poderoso, ainda que ele pertencia ao quarto corpo celestial dos que se apresentam para o devido dever. Assim os grandes com seus príncipes, buscavam todas as ocasiões favoráveis afim de introduzi-lo e o fazer sólicito ao príncipe herdeiro, em suas cavalgaduras quando por todos os exércitos do céu os passam a revista, ou nas assembléias de conferencia dos que tinham a primazia no exame de tudo quanto de novo se estabelecia, ao que se podia acrescentar, para que se estabelecido pudesse vigorar como estatuto dos acordes para adoração. Tão logo, passou Luxael a ser freqüentador em assistência daquilo que se ordenava e era executado pelo primeiro poder. E a ele foi revelada a magnificência, bondade, glorias, infindas maravilhas dos mistérios ocultos do Rei; foi-lhe também manifesto o maior e mais alto dom dos que são guiados, a saber: “Primeiro Adorador Estabelecido”, de maneira que toda a falange a qual regia passou a comportar-se diante do Trono em suas apresentações. Mas as profundezas do conhecimento e da sabedoria de Deus, era peculiaridade daquele que tinha o testamento de ser o único a ser gerado da própria alma do seu Pai; o Filho e Príncipe , ao qual nada ocultou. Sempre vida e para a vida seguia-se continuamente o reino multiforme sábio de prazer. E deste momento em diante agora havia alguém do quarto corpo no poder de cima, e que ministrava junto ao Trono ao qual onde quer que houvesse luz tudo lhe era patente , que descia até as potestades, as quais a aproximação ao circulo de lumes lhes são delimitadas, não porem individualmente.

A Sabedoria de Luxael
E Luxael lhes contavam as obras as quais ele executava ante os ordenados da dignidade maior; e incontáveis miríades se agrupavam e reuniam para receber dele qualquer que fosse o comunicado, pois tinham a certeza de que o que viria sempre lhes seria satisfatório e bom. E ele os satisfazia com a sua bondade, e a vastidão da plenitude daquilo que cada vez mais ele conhecia e ia se tornando possuidor das vocações ao “amigo do reino” atribuídas. Passeava entre todos os filhos do reino, procurava lhes conhecer os interesses, pesava a palavra de cada um, consentia na sabedoria de outro, indagava, inquiria, perscrutava , e esquadrinhava os propósitos, a voluntariedade, toda a espontaneidade, e todo qualquer sentimento por mais indiferente, e impreciso que pudesse parecer; por Luxael era aproveitado; e quase todas às vezes discutidos ao longo, e estendido até ao entendimento comum, pleno e satisfatório. Luxael era o que era, não porque tinha sido estabelecido tão somente pela vontade de Deus, mas pelos seus méritos que nele residia no dia em fora criado, porque provou ter a graça da sabedoria e das suas formas; por isso estava estabelecido no cume do monte do Poder, e assim o mais distinguido entre os adoradores. Em um dos seus momentos reflexivos pensava na sua carreira, que em tão pouco tempo se ergueu e expandiu sobre si. Ele era tempo atrás apenas um corista regente do quarto corpo celeste que pertencia a 3ª falange dentre os quais havia um coral de sete mil centenas ao qual ele também com os outros seus irmãos trabalhavam nos acordes dos cânticos. Era importante e quão muitíssimo grato se fazia realizar a criação do som e de todas as letras que compunham as melodias; prazer igual aquele, todos desfrutavam os que participavam e tomavam lugar neste contexto musical. Contudo isto, neste momento real e absoluto, o seu prazer parecia não conter em si e avantajava-se a cada passo que dava. Diante de tudo o que lhe acontecia, e de como se ia aumentando a fama a cada momento, com certeza se fazia necessário que não só agradasse ao seu Rei como também a todos os demais que o rodeava; as miríades intermináveis. Veio Luxael, e com todos os seus maiorais ofereceram aos dignitários, aos que guardam e executam poder, dons, e autoridade diante do Trono, e os convidou para o banquete que ele lhes preparou em honra e glorias ao que está no Trono, pela sua magnificência, por lhes ter outorgado pela sua própria vontade e querer, pois estavam no lugar em que estavam porque aprouve a Deus que assim estivessem. E por cento e vinte horas estiveram a celebrar

O Ardil.
No decorrer desta celebração veio Luxael pôs-se no meio dos convivas e lhes declarou o seguinte:
O que vos parece: Haverá alguma coisa grandiosamente difícil para o nosso Deus ? Quem a Ele se assemelha ?
Muitos dos que ali estavam bradaram com um coro glorioso e disseram: “O Senhor que é nosso Deus tem todos os domínios e não há impossíveis para Ele.” Aquele coro era um refrão de um dos cânticos que era entoado e pertencia ao que dantes tinha sido o primeiro coro celeste, porém uma grande maioria sentiu em uníssono, os que não gritaram com aquele coro, que nunca alguém interpelou jamais como que controvertendo o sentido destas palavras que foram proferidas, ou houvesse quem quer que tivesse tal questão. Pois as palavras de Luxael se propagaram pela primeira vez como algo que se devesse achar e que porventura não estava presente, como se Deus tivesse segredos contra os quais não lhes tinha mostrado, e que para sua própria autoridade os conservava consigo. Porque para aqueles que sentiram os seus pensamentos percorrerem o que se ouviu era algo inaudito, aquelas palavras soaram com a voz de um que brilhava como a estrela da manhã, daquele que em refulgente gloria se encontrava continuamente, e diante do momento em que se achava tão emergido na imensurável graça, o que se entendia era que aquele que assim falava tinha sido supostamente estabelecido como o inquiridor deles. E tão aplicada e veementemente fora as suas palavras que aqueles que exerciam e executavam as suas ordens ante o Trono, sentiram-se de maneira estranhamente indiferentes, e indignos de discorrem com ele sobre o que dissera e proferira . E propuseram em seus corações assistir confortavelmente essa impetuosidade furtiva do espírito de Luxael.

A Ambição dos Anjos
Em seguida ao final da celebração daquele banquete juntou-se a ele grande congregação de tal maneira que o seu numero não se podia cogitar, e o persuadia exclamando: Nos fará ou não Luxael sermos como a sua própria alma levando-nos as proximidades do grande rio o qual reveste de gloria e poder todo o que nele submerge, sim nos fará ou não aquele quando a sua luz esparge agrada ? Ainda mesmo que se nos fosse, que quando aquilo que lhe é devido, o revestimento do rio, em sua unção e no ribombar do seu fulgor, quando poder dele emanasse em todas as direções, que alegra e exalta o agraciado, ali estivéssemos para que assaltados desta luz de poder sentíssemos de certa maneira, mesmo que tão somente para a contemplação, tal maravilha. E ele lhes respondeu: Quem vos poderia ocultar que sejais iguais em todo o vosso proceder, quem vos negaria que se acrescente as vossas dimensões de quanto em quanto mais quiserdes ? Certamente Aquele que se assenta, e o único que se assenta no Templo vos será propicio. Ora, a multidão dos que lho propuseram que ele fosse mais chegado a eles, pertenciam as mais variadas hierarquias, dos mais renomados com seus aspectos dos que tem o entendimento de dias eterno, aos que por sua singular posição não diferenciava das demais potestade. E Luxael lhes adiantou: Certamente tratarei ante o trono, e há de ser que em havendo eu obtido favor, e depois de mo certificar, se razoável for considerá-lo-ei e vos visitarei nos termos peculiares. Assim foi o tempo em que o tempo não existia, onde a pureza e a candura das alvas são eterna harmonia, onde só a luz o esplendor e o brilho ardia, encandecia, e se estendia; e o conhecimento daquilo que é trevas se desconhecia.

A Ordenação do Côro e o Testemunho de Deus Qtº a Luxael
Muito ainda se distava o chegado momento em que Luxael deveria entregar a sua alma em toda a adoração ao Senhor altíssimo no elevado cume do Monte Santo. E tenazmente perspicaz como era, discorria por todas as cidades do reino elevado, e pelas abóbadas do final das veste de Deus e estrado dos seus pés. Ali ele propôs em seu coração realizar um grande ajuntamento de conservos para estabelecer e firmar um coro de louvor; e os vocacionados foram vinte e uma mil centenas. Então ouviu-se dizer: Sete mil centenas ao Rei, sete a sua Alma, e sete ao seu Espírito. Luxael porém, tratou de buscar e achar o beneplácito e a benevolência do cetro do Rei, afim de introduzi-los e inscreve-los permanentemente no livro dos que ministram instrumentos e cânticos, mas ainda esse horizonte não se havia se despontado, contudo era certeza que os que assistia e os que foram contados para a exaltação do Trono viriam se apresentar com um cântico novo. Ele, mais e mais os consagravam e estavam todos afinados em esplendorosa harmonia; crescia e transparecia a força, a graça e a formosura da sinfonia por eles entoados. Em se aproximando o momento da apresentação do principal coral, veio Luxael e os ordenou como sempre diante do Trono, só que desta vez bem mais elevado. Ele se chegou curvou-se ante o seu Deus e o adorou, como ele se demorava e não tomou alento e nem se foi, disse então o Senhor: – O que tens,ou o que é que há contigo, visto que interrompestes a assembléia dos adoradores do Senhor? – Então disse Luxael diante de toda aquela congregação aos ouvidos de Deus. – Certamente tenho eu achado graça diante de Ti, e tudo quanto observo, o Senhor meu Deus tem aspirado em aroma e cheiro agradável, e vemos que satisfeita e deleitosa se estende a alma do Senhor e isso nos são também prazeroso, então o que será que te rogo que deste momento em diante, que eu e os meus conservos possam vos aumentar em maior e mais extenso o poder, a gloria,a honra e a benignidade do Rei?

O senhor estava assentado e na sua mão direita empunhava o cetro da sua equidade, e na sua mão esquerda segurava um cálice de ouro o qual reluzia muitíssimo, e de tão forte que era a luz que emitia o cálice, que sobre as vestes de Luxael refletiu grande esquadrinhamento de fulgor. E ao passar uma hora, o Senhor estendeu o cetro, e logo estendeu a sua mão esquerda com a taça e a entornou sobre a cabeça de Luxael, e mudou-se a cor das suas vestes como a escarlate. __ Então disse Deus e bradou a todos: A quem compararei e assemelharei meu servo Luxael, porque me tem sido fiel em toda a minha casa; porque ninguém há no reino que tenha trabalhado incessantemente a favor do seu Rei ? De modo que vos constituo a juízo dele. Então grande congregação clamou com grande voz e como voz de muitas águas falaram: O Senhor nosso Deus que tem todo o poder, faz da sua imensurável sabedoria ainda mais profunda, ao declarar Luxael nossa própria voz diante do Grande Trono. Disse Deus diante de todos a Luxael: __ É certo que desde agora te ordeno e te constituo como o atalaia da guarda do Meu Lugar, e se assim tenho te posto também como guarda do Lugar Santíssimo, isso fiz para a minha honra e glória; glorifica pois o teu Deus no Lugar da sua Majestade no dia da visitação dos seus filhos.

A Ministração de Dádivas no Trono
E aconteceu que veio a hora em que Deus passeava por todo o reino, e assim lhes conhecendo os trabalhos e inspirações concebidas. E do Lugar da Glória de Deus, a Luxael era concedido que ele se assentasse e conhecesse as solicitudes dos filhos de Deus, de maneira que a autoridade que lhe fora conferida se assemelhava a do Primo Unigênito; entretanto no momento dos acordes de louvores dos coros, o Primogênito do Rei se assentava a sua Direita e pela maestria de Luxael, era por este adorado e por todo o exercito do céu. Corria a eternidade, e em todas as visitações do Senhor dos Exércitos, lá então se achava Luxael refletindo, inquirindo, perscrutando e tomando a si tantos quantos corações nele se comprazessem e se comparassem. Posto então que se lhes fora conferido esta autoridade e atribuído deste poder “ o amigo do reino” se certificou de que todos os que a si chegava, tinham com ele uma mesma alma, espírito, e propósito; e por isto ia crescendo mais e mais a aproximação entre Luxael e os que por ele eram agraciados das honrarias que buscavam e também das que não solicitavam; e de maneira tal e grandiosa despontava e se aportava diante do Grande Trono, um ajuntamento do qual não se podia medir nem se saber quem ministrava e quem servia. Os de grandes dons e vocações que com ele estava faziam ecoar vozes altissonantes de júbilo com suas próprias palavras de ordem e dever, pois isto lhes era permitido e aceito com muita graça por Luxael. O Senhor todo poderoso sempre confiou a Luxael uma grande variedade de bênçãos e dons para que ele pudesse distribuir a todos, repartindo aos que traziam suas demandas consumidas. Tão logo se fez notório e costumeiro as ofertas de Luxael que todo o pensamento não podiam cogitar outra coisa a não ser desfrutar irreversivelmente de todas as boas dádivas derramadas sem medidas nem controle de esforços. O resplendor da sua magnanimidade pairou de diante do Trono até os confins do reino, e a todos os filhos do Rei lhos foi dado conhecer o poder daquele que distintamente avantajava-se mais e mais em glorias, honras, sabedoria e conhecimento. Tal era a sabedoria de Luxael, que já não havia mais quem lhe pudesse ensinar ou o surpreender. Pois a sua alma perscrutava o conhecimento de cada um, e mais as coisas que a si mesmo se descobria; agregando-as ao seu próprio espírito.

A Vaidade
E chegou-lhe então o momento em que foi assaltado de vaidade, e disse: ” Afinal, não sou eu quem ministra tudo e a todos superabundo os conduzindo em justiça ?” Acaso não trabalho eu sem cessar e a tantos quantos que a mim se chegam são galardoados sem que isso seja necessário notoriar ao Trono, e isso já de muito tempo ? Digo: Há alguma razão em que se prestar cultos a Eloim seja sábia ? Existe profundidade na sua verdade vitalícia que nos pregou uma vez o Rei? E o reino se dividiu. Veio pois Luxael, e apoiado pelas miríades que o estimava clamou contra o Trono dizendo: ” Não é certo o que fazes ó Rei! Certamente tenho eu sido extremamente zeloso em todo este reino, de maneira que todas as coisas estabelecidas obedecem a ordem da palavra que tenho dito. Vem pois agora, e se podes contestar-me do que falo, trazei-me a vossa prova, porem se não podes ater-se diante das evidencias que trago; Não te seria sábio afastar-se da soberania do Monte do Trono e deixar-lhe a dignidade ao que trabalha incessantemente ? Tendo Luxael posto os seus pés diante da Tenda de Deus eis que saiu Eloim e desceu até as miríades que estavam com Luxael, e disse Deus: ” Donde vens ? e Luxael continuou: ” Desde os confins do horizonte e até ao centro do reino tenho ouvido incessantes anelos de muitos que a mim se afeiçoaram e simpatizaram, e segundo a autoridade que me destes, a estes tenho multiplicado todo pedido, nada lhes faltando; de maneira que em mim eles tem conhecido a justiça em sua plenitude”. e Luxael disse ainda mais: ” Chamei então quatro dos maiorais e lhes falei aos ouvidos: Que é isso que fazemos e porque voluntariamente cultuamos a Eloim ? Acaso no inicio quando nossos olhos se abriram e sentimos a vida e a alma, porventura tudo já não estavam feito ? Acaso algum de nós testifica a criação da eternidade, exceto aquele que também é adorado no Monte de Deus, este que tu dizes ter sido gerado da tua própria alma e que o pusestes por tua própria testemunha para nos declarar apenas pela palavra dele, sem nenhum sinal de que verdadeiramente és Deus criador de toda a vida e da eternidade ? Dize-nos pois, ou fazei com que tenhamos nos enganados, sim, a toda essa grande congregação que reside externamente ao Trono, em que haja unicamente um entre nós que tenha visto nascer qualquer estrutura pela tua palavra ? Pois todos andamos nos brilhos das pedras, somos sábios resplandecentes e formosos igual tu és. E se é certo que em todos estes dias eternos não contemplamos nenhuma extensão criadora do teu poder que a ti dignes ao temor de todos, então é vã e quão sofrido tem sido o teu senhorio sobre nós. Pelo que cada um destes que comigo está tem sacudido de si o teu governo e a mim estabelecem como o seu rei, e segundo a minha equidade a ti é dito que de ti tem passado o reino e desconstituído os teus caminhos; vem agora, e desce, posto que nesta cadeira me assentarei com o brilho da estrela da manhã, e no coração dos mares satisfarei a todos em medida multiplicada que jamais faltará.

A Ira
Acabando então as palavras de Luxael, eis que voou um querubim por sobre o Trono e ele abaixou até seus estrados e Deus o cavalgou elevando-se. O lume dos setes círculos do arco estavam intensamente encandecidos como que prestes a se inflamarem; as vestes do Rei resplandeciam com fulgor de refulgente luz; o cetro e a coroa estavam no domínio do Príncipe que no Trono se assentara, e o Senhor Todo Poderoso começou a falar: ” Quem de vós que não vos abalastes e tendes permanecido no vosso primeiro estado, então passai a minha destra para que eu saiba responder a cada um da horda que vem com Luxael segundo os ardis da sua ambição” Então foi o céu dos céus saturado da gloria de Deus, e não podia contê-la. Miguel e seus anjos acamparam-se a asa direita do Santo e incomparavelmente maior era o numero dos fiéis. E ainda não havia Deus começado a falar e a mesma gloria que tomava o templo não só revestia os santos que estavam a sua destra, como também rompia a fileira dos prevaricadores com a aniquilação da luz de Deus. Disse então Eloim: Eu Sou o que Sou e a fidelidade ao meu testemunho é vida. Certamente te estabeleci segundo a minha vontade e tudo quanto fiz convergi em ti tão somente foi para o meu prazer e exultação do meu Espírito; bem dissestes: “Quem viu Deus manifestando a vida” ? porquanto tudo o que faço é para a minha glória e segundo o meu querer a quem quero revelo e a quem eu quiser encubro. Eis que o teu pecado é achado, posto que te foi oculto os mistérios que só é ouvido no seio do Meu Templo e para aquele a quem foi dado o Meu Dom, para este nada encobrir e fiz passar sobre ele toda a minha gloria, e de tal maneira o consagrei que nenhum há em todo reino elevado como Ele. Falava o Senhor ainda estas palavras e e viu-se grande sinal no céu: Eis que Luxael e todos os seus congregados definhavam e eram desfigurados diante do Todo Poderoso. Pôs-se o Senhor sobre o querubim e bradou com voz poderosa: ” Quem aspergirá a minha eira” ? Então saiu Miguel com suas miríades e expulsou a Satanás, e a nuvem do poder da majestade do Rei fez separação entre a luz e as trevas. E o Senhor Deus Todo Poderoso entrou no seu Templo sendo adorado continuamente pelos seus filhos por toda a eternidade.

Autor: Moisés de Oliveira Carrera

bigman7mc@hotmail.com

A Parábola do Banco de Sangue

Baixar A Parábola do Banco de Sangue em power point

Uma grande e importante mulher, assistia com seus doze filhos na corte de um renomado rei, onde ali juntamente com eles administrava os bens da majestade o rei .
Sempre ao crepúsculo a mulher tratava do rendimento diário com o imediato daquele que ao trono vitalício se assentava. Ela a todas as demais do reino sobrepujava, e com decoro e dignidade se fazia conduzir em seus caminhos.
Todos os dias o procedimento para o bom
andamento dos negócios do reino era sempre o mesmo e o produto do trabalho de cada um deles crescia, se desenvolvia e abundava.
Todos eram assíduos,dinâmicos,dispostos e não
mediam esforços ou se retraíam diante de qualquer outra…
…atividade extra que se porventura surgisse, ainda que viesse a ser contra os seus próprios interesses; o objetivo era satisfazer o rei. Passados muitos dias inquietou-se a mulher com quatro dos seus filhos,

pois a ela achegou-se os outros demais, seus próprios filhos, e a insi-
nuava e a advertia que se prestasse sua atenção acerca destes seus quatro irmãos. E ela observou neles que realmente eram diferente dos demais.

Ora esses quatro de tudo comentavam, falavam,
dissuadiam,dialogavam,e questionavam; eram
extrovertidos nos relacionamentos,na convivência, nas palavras, nas brincadeiras;

…eram versáteis nos deveres, no que aprendiam, nos gestos, naquilo em que transmitiam; eram reais, verdadeiros, originais e joviais eles eram assim,

e enquanto os outros seus irmãos por sua vez: reprimidos,sistemáticos,calculistas, frívolos, superficiais e continuamente indiferentes, sendo por isso incomodado, inconformados afligiam a alma de sua mãe…

para que esta lhes reprimisses e extingasses o espírito de vida altruísta que a estes se sobrepunha. Assim se opuseram do modo porque seus quatro irmãos se portavam. Ainda que esta via de conduta deles não…

… alterava o produto nem o desenvolvimento do trabalho de nenhum deles. De maneira que foi posto a prova a força daquela mulher e pensou: deveria ela apoiar a maioria dos seus filhos em detrimento dos outros quatro?

Principalmente porque para continuar no poder, e como cabeça da família precisaria conquistar a simpatia senão de todos, pelo menos desta maioria. Ou abrandar-lhes os ânimos sagaz e astuto os fazendo entender que viver …

camuflado, na espreita e tropeço do próximo, para que quando achado falho e devedor sobre ele finques cravada a vil bandeira de “aqui jaz um liquidado” vendido…

…pelos ardis inescrupulosos daqueles aos quais foram negadas as dádivas do sabor salutar inescrutável da vida absoluta; e então eles seriam como a lembrança e o reflexo de alguém que violentou…

…a própria alma. Uma vez que todos eram irmãos, e que o lugar eterno e convicto de cada um deles, não eram a momentaneidade e a brevidade do reino daquele rei, mas sim uma dura lápide de…

…pouquíssimos metros quadrados onde toda e qualquer expectação finda e desvanece. E para não agradar a uns e desfavorecer a outros, não se manifestou diretamente nem a maioria, nem aos…

…que estavam em menor número, pelo que disse a
mulher aos seus doze filhos e os fez aprender que:
Cada um tem em si as combinações de sua própria…

natureza e essência, obtendo pelo seu próprio…
…brilho o resultado seguinte: Quem nasce prá
ri, não pode chorar e supera o dia a dia com

alegria; quem tem novidade sempre vence, faz acontecer, resplandece, e contagia.

Direito a Vida ou a Cultura ?

Hakani, Enterrada Viva – A história de uma sobrevivente

Hakani é uma indiazinha brasileira que escapou da morte graças a coragem de seu irmão mais velho. A sua história poderia ser a mesma de diversas crianças indígenas que são enterradas vivas na Amazônia, mas felizmente ela sobreviveu e encontrou uma família que a adotasse, outras crianças nem tiveram quem as defendessem.

“Hakani, Enterrada Viva – A história de uma sobrevivente” é o documentário que conta a jornada dessa pequena garota e denuncia o fato dos direitos da criança e do adolescente não serem aplicados às crianças indígenas.
Sinopse do documentário:

“Ela foi enterrada viva porque seu povo achava que ela não tinha alma. Foi desenterrada por seu irmão no último momento. Depois disso, foi obrigada a viver banida de sua tribo por três longos anos até que a enfermidade e a rejeição a levaram mais uma vez para à beira da morte…

Esta é a história de Hakani, uma das centenas de crianças destinadas a morrer a cada ano entre os mais de 200 povos indígenas brasileiros. Deficiência física ou mental, ser gêmeo ou trigêmeo, nascer de uma relação extra-conjugal – todas essas são consideradas razões válidas para se tirar a vida e de uma criança.

Um número crescente de indígenas estão se levantando para combater essa prática. Mas quando eles procuram ajuda de algumas autoridades brasileiras, eles ouvem que as leis nacionais e internacionais não se aplicam às suas crianças, e que preservar a cultura é mais importante que preservar vidas individuais. Essas atitudes vão claramente contra a Constituição Brasileira e contra a legislação internacional, que declaram que os direitos da criança jamais podem ser sacrificados pelo bem do grupo.

Apresentando sobreviventes do infanticídio, assim como aqueles que os resgataram, Hakani é um documentário dramático que conta a história verdadeira da jornada de uma menina em busca da liberdade e a luta de um povo para encontrar uma voz – uma voz pela vida.”

A seguir, assista o trailer do filme.

Revoltante, não é? Segundo o blog Chiroma, “a Fundação Nacional do Índio (Funai) estuda qual instrumento jurídico vai utilizar para impedir, na justiça, a divulgação do filme Hakani pela internet e emissoras de televisão brasileiras.” Para eles, mais vale preservar a “cultura” de um povo, do que uma vida.

Você deve estar se perguntando se estas fortes imagens são reais. Sobre isso, o site do documentário revela tudo sobre o “Making of”.

“Making Of” de Hakani:

Hakani já crescida com o irmão que a salvou “O filme-documentário HAKANI foi feito em cooperação com dez povos indígenas diferentes. Esta demonstração de união sem precedentes revela a determinação de muitos indígenas que estão lutando para serem ouvidos.

A maioria das crianças que atuam no filme são vítimas que foram resgatadas. Algumas das quais foram literalmente desenterradas por parentes ou vizinhos.

Os adultos que atuam no filme ou são sobreviventes de infanticídio, ou indígenas que salvaram alguma criança que estava destinada à morte.

Nenhuma criança se feriu durante as filmagens. As cenas de enterro, apesar de parecerem reais, foram feitas com truques cinematográficos de Hollywood. O diretor do filme, David L. Cunningham, utilizou bolo de chocolate esfarelado para parecer terra. Uma brincadeira foi feita então, onde as crianças foram convidadas a comer a “terra” de chocolate e então, com truques de fotografia e edição, as cenas de enterro foram produzidas. A criança que interpreta a pequena Hakani bebeu leite com chocolate que imitava uma poça de lama, e comeu balas de goma em formato de minhoca!

A segunda parte do documentário traz depoimentos de indígenas sobres suas terríveis experiências pessoais com infanticídio onde eles pedem que seu povo pare com essa prática.

Ficamos felizes ao receber a notícia através da terapeuta da pequena Hakani sobre o impacto positivo que a realização deste filme teve na vida da menina. Hakani memorizou cada frase do filme e pela primeira vez desde que foi resgatada, passou a falar e a cantar na sua própria língua nativa, a língua Suruwahá!”

Saiba mais sobre o combate ao infanticídio no blog da ONG Atini, Voz Pela Vida. Lá, além de manter-se informado sobre o assunto, você ainda encontra formas de colaborar com a causa defendida por eles: “A defesa do direito das crianças indígenas.”

MINHAS PALAVRAS:

Ísso é terminentemente irisório, digo, a maneira como o governo brasileiro vem tratando este assunto. Vi a reportagem dessa materia na tv record e com certeza a vida é mais importante e vale muito mais que a cultura de um povo. O presidente Lula quer livrar a iraniana Sakineh da morte e de ser apedrejada pela cultura da nação do Irã e ao mesmo tempo trata com desdém problemas culturais iguais dentro de sua própria casa, digo, aqui no brasil. Incoerências e incosistências como disparates assim, mostram que quem age dessa maneira só busca fama e glória e nada mais importa.

Onde assistir o documentário?
Faça o download do filme:

  • MEU FACEBOOK

  • Seguir

    Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.